Reflexões sobre comunicação, desinformação, estratégias do discurso de informação, atuação da imprensa e letramento midiático

Comissão Nacional da Verdade – 10 anos

A Comissão Nacional da Verdade (CNV) completa hoje, 16 de maio, 10 anos de instalação. Foi instituída no e pelo governo Dilma Rousseff e cumpriu – cumpre – o papel essencial de mostrar as violações aos direitos humanos, de várias ordens, que foram perpetradas durante a ditadura militar no Brasil. A CNV também foi responsável por trazer de volta à discussão esse tema que ainda é tabu por aqui. Dilma cutucou onças violentas com vara muito curta ao propor a instauração da Comissão, ela foi de uma coragem ímpar, e por isso merece todos os aplausos. A Comissão da Verdade ajudou muitas pessoas, muitas famílias, tirou pelo menos parte da sujeira que a ditadura e os grupos que a apoiaram quiseram jogar para debaixo do tapete. Essa tolerância com os desmandos, com a violência da ditadura, com as absurdas violações aos direitos humanos sem dúvida explica o que vivemos hoje sob o (des)governo nefasto de Jair Bolsonaro.

Esconder a história e fingir que nada aconteceu pode custar muito caro – a violência praticada pela ditadura militar abarcou um rol terrível de “ações”, desde a brutalidade dos castigos físicos, ao desaparecimento de presos políticos e o sumiço de bebês. No dia da instalação da CNV, 16 de maio de 2012, a presidenta Dilma se emocionou e chorou ao lembrar o que ela e outras pessoas viveram nos porões da ditadura. 

É uma história que não pode ser apagada, e isso não se trata de revanchismo – trata-se de nos havermos com nosso passado, de sabermos que brasileiros foram torturados barbaramente; trata-se de sabermos que famílias foram destroçadas, que bebês foram roubados, que  a corrupção na ditadura era totalmente encoberta. Trata-se de conhecer para entender que o clima de ódio que se instaurou por aqui neste momento político recente se vincula ao passado violento e amordaçado.

Por isso tudo, acho que, como comunicadores e cidadãos, temos o dever de colocar esse tema mais e mais a público, de contribuir minimamente para essa discussão que é histórica, política, humanitária, sociológica, comunicacional, discursiva, enfim, transdisciplinar. Compartilho então  com vocês um documentário que a Rede TVT exibiu no sábado sobre a ditadura.

*Foto capa: Agência Brasil/EBC