Reflexões sobre comunicação, desinformação, estratégias do discurso de informação, atuação da imprensa e letramento midiático

Boletim do JN: edição sem grandes novidades | 4.6.2020

A edição não teve nenhuma grande novidade novidade, nem assuntos com aquele costumeiro tempero. Então, vamos às observações gerais e a grande ao final.

1. O JN resolveu enfrentar a estratégia do Ministério da Saúde de não liberar os dados oficiais sobre a Covid a tempo de entrar no jornal e anunciou, já na escalada, o balanço das secretarias estaduais. 

Na abertura, a constatação de que “a pandemia de coronavírus segue numa escada acelerada no Brasil. Somos o segundo país com maior número de casos, só os Estados Unidos tiveram mais doentes. Tristemente, somos também o segundo país a registrar mais mortes em 24 horas”, e a informação de que o Ministério da Saúde não tinha ainda divulgado os dados. 

Bonner então arrematou, depois de apresentar na tela os números que mostram o Brasil em 3º lugar no número total de mortos, mostrando o retrocesso do Ministério na divulgação após a saída de Mandetta: “Desde o início da pandemia, o Jornal Nacional tem registrado os dados oficiais do Ministério da saúde. Vc talvez ainda lembre, no começo, os números de casos e de óbitos eram anunciados às 17h em Brasília, imediatamente antes da entrevista coletiva diária com o então ministro Luis Henrique Mandetta. Com a saída de Mandetta, a entrevista coletiva deixou de ser diária, e a divulgação dos dados foi sendo retardada. Passou a ser feita às sete da noite, na gestão do ministro Nelson Teich. 

Renata apimentou a informação: “Com a saída de Teich, esse prazo aumentou. Ontem o Ministério alegou problemas técnicos e avisou que só divulgaria os dados às 10 horas da noite.  Essa planilha foi distribuída para a imprensa ontem às 22 horas, mesmo com os dados atualizados desde as 19! (COLOQUEI EXCLAMAÇÃO RPA MARCAR A ENTONAÇÃO DE RENATA, INDIGNADA).

* A imagem da planilha do Ministério foi mostrada

BONNER: “Pra que vc tenha sempre os números mais atuais dessa pandemia, a partir de hoje, o Jornal Nacional vai apresentar os dados das Secretarias Estaduais de Saúde, totalizados pelo G1. E também os números atualizados do Ministério da Saúde quando forem divulgados a tempo. Porque a nossa missão, no JN, é levar a você TODAS as informações relevantes sobre esse desafio enorme que a pandemia impõe à saúde dos brasileiros”.  

Com bastante classe, um arremate perfeito à pegadinha do Ministério… 

Prossegue Renata, alfinetando a ausência de tática: “E a gente viu, os números falam por si. Dia a dia, os novos casos de Covid vão aumentando num ritmo crescente. E é nesse cena´rio que muitas cidades vão reabrindo lojas, locais públicos, diferentemente do que aconteceu em outros países”.  

A primeira matéria mostra então uma curva comparativa do Brasil com outros países, e abre citando nomes de vários brasileiros que perderam a batalha para a doença. E reforça o drama da ascendência sem controle da curva brasileira, com a avaliação de pesquisadores. Traça um cenário que não é bom e destaca que os especialistas avaliam muitos riscos para a flexibilização que já começa a ser adotada.

No balanço da doença pelo Brasil, destaque para Manaus, que tem 4 vezes mais mortes do que o restante do país. 

2. Aos pouquinhos, a economia começa a aparecer novamente no JN, a tentativa é sempre de mostrar coisas positivas, mesmo que sejam migalhinhas. Ontem foi a subida pequena da Bolsa e o volume de vendas diárias que voltou a subir em maio. De novo, ninguém do Ministério da Economia.

3. Muito destaque para a via sacra dos brasileiros que aguardam o auxílio emergencial e que aguardam também a liberação de outros pedidos do INSS, como aposentadorias e licença-maternidade. Dimensionam bem o drama e a falta de ação governamental.

4. Como em outras edições, pareceres de procuradores ou outras instâncias mostram a preocupação com o cena´rio político e a necessidade de respeito pela democracia. Dessa vez foi a a Procuradoria dos Direitos Humanos que reforçou a importância do diálogo e do respeito à Constituição. E novamente volta à cena a questão das Forças Armadas: um parecer da Câmara, a pedido de Rodrigo Maia,  diz ser incorreta interpretação de que as Forças Armadas podem agir como poder moderador entre os três Poderes.

 Recados vão sendo dados…

5. A matéria sobre o menino Miguel, que despencou de um prédio em Recife ganhou 3 minutos do JN, com a mãe sendo ouvida e tal, mas alguns detalhes devem ser observados:

  • A foto da patroa que deixou o menino entrar no elevador não foi mostrada, apesar de já estar circulando pela internet e em vários portais. Não há uma única imagem.
  • A imagem que mostra o prédio – as tais “Torres Gêmeas” de Recife – é super enquadrada – mostra apenas um detalhe de um dos prédios. Não mostra a grandiosidade do condomínio, as torres com vista para o rio, não cita que são denominadas de “torres gêmeas” e que se destacam na paisagem. O prédio do Guarujá, se vcs se lembram, era mostrado de lado, por trás, por dentro, de frente, do alto…
  • Na chamada de Bonner, a informação de que “a polícia civil prendeu uma mulher suspeita de homicídio culposo no Recife. Ela estava tomando conta do filho da empregada”. Uma mulher… cujo nome só aparece uma vez na matéria.  

6. A cobertura do caso George Floyd continua em alta, com muitos “ao vivo” de NY.

7. Bom destaque para a matéria sobre a transferência do governo federal de quase R$ 84 milhões do Bolsa Família para a Secretaria de Comunicação. Segundo Bonner, “esse dinheiro seria usado para pessoas na pobreza ou extrema pobreza da região Nordeste”. Explorou bem a fila de famílias que esperam para receber o recurso, como denunciado pela folha de São Paulo. E mostrou também que houve uma grande redução de famílias atendidas no Nordeste. Um ótimo gancho para um ótimo público.  

GRADE

  • Brasil ultrapassa Itália e é o terceiro país em número de mortos pela Covid-19
  • Pesquisadores avaliam os riscos para a abertura precoce do comércio em meio à pandemia
  • Mortalidade por Covid-19 no Amazonas é 4 vezes maior do que a média nacional, diz estudo
  • Governador do MT, Mauro Mendes (DEM), é diagnosticado com a Covid-19
  • Aqui Dentro: ‘Desgaste emocional’, relata médico que atua no Recife
  • Estudo que apontou riscos no uso de cloroquina e hidroxicloroquina perde valor científico
  • Reunião virtual arrecada US$ 45 bilhões para o financiamento de vacinas
  • Parlamento holandês rejeita acordo de livre comércio do Mercosul com a UE
  • Polícia de Goiás começa operação de combate ao desmatamento na Chapada dos Veadeiros
  • Ricardo Salles revoga despacho que permitia cancelar multas ambientais na Mata Atlântica
  • Senado aprova auxílio de R$ 600 para artistas informais
  • Presidente Jair Bolsonaro edita medida provisória com socorro para estados e municípios
  • Governo transfere quase R$ 84 milhões do Bolsa Família para Secretaria de Comunicação
  • Governo anuncia que vai estender por mais dois meses o pagamento do auxílio emergencial
  • Bolsa de Valores de São Paulo sobe 0,89%
  • Volume de vendas diárias da economia brasileira volta a crescer em maio
  • Milhões de brasileiros aguardam a liberação de benefícios do INSS
  • Deputada Carla Zambelli (PSL) vai à PF para depor no inquérito das fake news
  • Abraham Weintraub entrega à PF depoimento no inquérito que apura crime de racismo
  • Defensoria pede ao STJ a saída de Sérgio Camargo da presidência da Fundação Palmares
  • Procuradoria Federal diz que cenário político requer compromisso com a democracia
  • Parecer da Câmara diz ser incorreta interpretação de artigo sobre Forças Armadas
  • Mulher é presa após filho da empregada cair do 9º andar de um edifício, no Recife
  • Protestos contra o racismo nos EUA entram no décimo dia
  • Começam cerimônias de despedida de George Floyd
  • Carolina Cimenti acompanha o oitavo dia de protestos em Nova York
  • Veja a previsão do tempo para esta sexta-feira (5) em todo o país
  • Fortaleza começa a registrar estabilização nos casos e mortes por Covid-19
  • Prefeitura de São Paulo autoriza primeiros setores não essenciais a funcionar
  • Pelo segundo dia seguido, Minas Gerais tem mais de mil casos de Covid-19
  • Polícia alemã divulga nome do suspeito pelo desaparecimento de Madeleine McCann